Receita caseira de “álcool gel” não é segura e pode agravar situação do coronavírus

Com a falta de álcool gel nos mercados e farmácias, uma suposta alternativa caseira do produto está circulando na internet, mas trata-se de uma receita falsa que pode até piorar a situação da doença.

Especialistas consultados analisam que o dito “álcool gel caseiro“, na verdade, não é álcool gel de verdade, não mata o coronavírus e ainda pode deixar o corpo mais vulnerável ao vírus. Entenda o porquê.

A atual pandemia de SARS-CoV-2 levou muitas pessoas a correrem aos supermercados e farmácias em busca do álcool gel. O produto é uma das indicações para a higienização das mãos a fim de evitar a transmissão do novo coronavírus.

Contudo, algumas prateleiras já não têm mais o produto. A escassez fez com que supostas alternativas caseiras surgissem.

Uma delas é o “álcool gel” feito a partir da mistura de água, álcool líquido e gel de cabelo (ou variações, como o gel d’água, usado em exames de ultrassom).

Ainda que pareça uma alternativa, a infectologista da Rede D’or Raquel Muarrek afirma que esta mistura não funciona para evitar a transmissão do SARS-CoV-2.

“Ele não tem efeito. Você não tem todas as concentrações ideais para fazer um álcool gel em casa, pois muitos dos produtos são acessados apenas pelos farmacêuticos”, diz a médica.

Vale lembrar que a concentração ideal para o álcool gel indicada por especialistas de saúde para que a eliminação do vírus seja eficaz é que o produto seja composto 70% de álcool.

Bruno Burato, dermatologista da clínica Leger, ainda explica que o álcool, quando misturado a outras substâncias, perde sua efetividade.

“Ele perde perde sua concentração e, assim, sua capacidade de eliminação do vírus”, diz Burato.

Outro ponto de destaque levantado pela dermatologista Eduarda Porello é que receitas caseiras não passam por um controle de qualidade e liberação da ANVISA para serem utilizadas, o que é essencial para garantir a segurança do produto.

Receita caseira de álcool gel oferece perigo

Além de não proteger e não estar dentro das normas sanitárias, o dito “álcool gel caseiro” pode mais atrapalhar a proteção contra o SARS-CoV-2 do que ajudar.

Isso acontece porque a receita caseira leva álcool 70 que, segundo Burato, caso não seja armazenado corretamente ou sua concentração não seja mantida da maneira correta, ajuda o vírus a impregnar por mais tempo na mão. “E a mão é o principal meio de transmissão do vírus”, analisa o médico.

A mistura pode, ainda, causar dermatites irritativas e de contato nos pacientes, fazendo com que a barreira protetora da mãos fique comprometida e expondo o corpo ainda mais ao coronavírus.

Eduarda enfatiza que não há nenhuma receita caseira de álcool em gel com eficácia comprovada. “Portanto, é imprudente usar essas receitas para combater o vírus, pois pode dar à população a falsa impressão de estar protegido.”

Leia também!