Livros intensos?

Hoje eu quero falar para vocês sobre dois livros que eu li e anchei incríveis, ambos já possuem resenha aqui no Mistérios Literários, são dois livros que enquanto lia, meio que fazia parte da história e eu me apegava aos personagens, como se estivéssemos vendo aquelas aventuras juntos, grandes e pequenas emoções que ficam difíceis de descrever aqui… São livros de mais ou menos 300 páginas (Um livro normal), o que se torna bem fácil de ler.


O primeiro livro:

O Diário de Anne Frank:

‘O Diário de Anne Frank’, publicado originalmente em 1947, se tornou um dos relatos mais impressionantes das atrocidades e horrores cometidos contra os judeus durante a Segunda Guerra Mundial. A força da narrativa desta adolescente — que mesmo com sua pouca experiência de vida foi capaz de escrever um testemunho de humanidade e tolerância — a tornaria uma das figuras mais conhecidas do século XX. Agora, seis décadas após ter sido escrito, o diário é finalmente publicado na íntegra. A nova edição traz um caderno de fotos, além de vários trechos inéditos.
O livro reconstrói os tensos anos em que a família Frank viveu em Frankfurt, em clima de total anti-semitismo, a fuga da Alemanha e a vida no esconderijo, em Amsterdam. Com fotos e cartas inéditas obtidas junto a parentes e amigos, esta edição finalmente revela mais sobre a jovem Anne Frank, sobre sua família, o ambiente social em que ela cresceu, sua vida antes e depois da fuga e sobre seus últimos setes meses de vida — depois de ter sido traída, capturada pelos nazistas e enviada a um campo de concentração.
Conhecido em todo o mundo através do teatro, adaptações para televisão e traduções,’O Diário de Anne Frank’, incrível documento humano, continua a chocar e a emocionar. Ele assinala passagens de uma vida insólita, problemas da transformação da menina em mulher, o despertar do amor, a fé inabalável na religião e, principalmente, revela a nobreza fora do comum de um espírito amadurecido no
sofrimento.
‘O Diário de Anne Frank’ é um retrato da menina por trás do mito. Um livro que aprofunda e aumenta nossa compreensão da vida e da personalidade de um dos fortes símbolos da luta contra a opressão e a injustiça. Uma obra que deve ser lida por todos, para evitar que barbaridades dessa natureza voltem a acontecer neste mundo.

O Segundo livro:

Cidades de Papel:

Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita.

Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.


Quando terminei de ler ambos os livros, confesso que bate aquela “Ressaca Literária”, aquela saudade dos personagens e etc. Super recomendo! 🙂 Espero que gostem.

Leia também!

Crítica | A cinco passos de você

Aos dezesseis anos de idade, Stella Grant é diferente da maior parte dos adolescentes: devido a uma fibrose cística, ela passa...

Apple TV+ – O espetáculo vai começar

SEE — Official Trailer | Apple TV+ https://www.youtube.com/watch?v=7Rg0y7NT1gU Assista a SEE agora no aplicativo...

Crítica | Vikings – 5 Temporada

Grande Ivar, o Desossado reivindica sua liderança sobre o Grande Exército Heathen, enquanto Lagertha reina como Rainha de Kattegat. O lendário...

Netflix agora te deixa colocar personagem favorito no avatar

Post da Netflix para anunciar novidade nos avatares Você ama a Eleven de ? Ou prefere que Jessica Jones seja sua representante? Agora ficou longa...