Entrevista com a escritora Naty Rangel

Pessoal, aqui vai a tão esperada entrevista com a escritora de Retratos de Uma Vida! -Quando surgiu a ideia de ser escritora? Não sei dizer quando exatamente, mas sempre me expressei melhor através de cartas e acho que virou um vicio. Escrevia cartas para taaanta gente, mas nunca enviei. Algumas eu simplesmente rasgava depois de ler. Kkkk Estranho, eu sei. Algumas vezes eu podia estar andando na rua, na academia ou vendo TV e diálogos surgiam na minha cabeça, com o tempo eu tive vontade de escrever as ideias no papel, só por escrever. Sem pensar que poderia ir pra frente, uni essas ideias pra escrever uma história original já que tentei uma fic uma vez e desisti nos primeiros capítulos.  Quando estava terminando comecei a postar no Wattpad, Nyah e Widbook. Foi ai que comecei a ouvir os elogios e olhei para a minha estória com outros olhos rs   -Qual gênero literário você escreve? Romance. E estou me aventurando no Romance adulto. Não sei se dou conta disso, mas só tentando pra saber. O Spin – off do Retratos de uma vida (a segunda parte que ainda não foi publicada pela editora, mas já foi postada e retirada do wattpad). É um conto de um personagem que eu me apeguei e estou adorando escrevê-lo.   -Pretende mudar o gênero da qual escreve? Sim, quem sabe futuramente, beeeem futuramente. Tenho umas ideias, mas ainda na área do Romance. É complicado porque eu não procuro um tema quando quero pensar num livro. Ele surge, eu só preciso esperar. Eu quero escrever outros gêneros, mas talvez eu precise LER outros gêneros para me aventurar assim kkkk   -Você costuma tirar um tempo diário para escrita? Triste responder isso, mas infelizmente não. Eu queria, mas tem dias que realmente não consigo conciliar. Tem meu trabalho, casa, um filho de três anos, marido… Eu só agradeço quando a ideia aparece numa hora em que eu realmente posso me dedicar. Kkk Mas tento toda semana escrever algumas páginas.   -Quais os seus autores favoritos? J.K Rowling é a primeira e talvez a única da lista porque ela me fez gostar de ler. Mas não acho que tenho autores favoritos porque gosto das histórias, mas não me apego tanto a pessoa. Talvez mais agora que estou conhecendo autores nacionais e deles sim gosto de me aproximar. Mas não vou citar aqui porque vocês podem cansar de ler tanto nome… Brasileiros podem surpreender. -Em quais obras ou autores baseia sua escrita? Em nenhuma em especifico, mas claro que estamos sempre absorvendo de tudo que lemos. E eu leio muito romance. rs -Acredita que todos podem escrever ou somente pessoas quem tem uma certa vocação? Todos. Basta ser um leitor. Não um que lê um livro por ano, mas um por mês, por exemplo. É una boa meta, mas o brasileiro tem preconceito com a leitura, isso é muito triste. Escrever não tem mistério, você só precisa ter a mente aberta. E nada melhor que os livros para abrir a mente de alguém. Bom, minha opinião, pelo menos.   -Conte-me um pouco sobre o seu dia a dia. Você trabalha, estuda… ? Eu sou designer, moro com marido e um filho de três anos, ajudo meu marido na loja de informática que temos. Meu dia começa cedo indo para academia e sempre termina tarde com o filho elétrico sem vontade de dormir rs -Quando vai ler a obra de outro escritor, o que avalia primeiramente? Impossível não ser a capa. Não que vá influenciar no gosto pelo conteúdo, mas eu reparo, fazer o que. rs -Em sua carreira como escritora, que parte julga mais difícil até hoje? Certeza de que a pós-publicação foi muito mais difícil, até porque só caiu a minha ficha de que eu estava mesmo desenvolvendo um livro no final. Claro que hoje em dia eu tenho o tempo mais curto se comparar à época que escrevi Retratos de uma vida. Mas ainda assim, descobri que as editoras, por mais famosas que sejam, não dão tanta força assim para novos escritores. Não quero generalizar, mas já vi certas coisas que realmente me entristeceram. E se as pessoas acham que é só encontrar uma editora e pronto, estão muito enganados. Assim que seu livro é finalmente lançado é que realmente começa o trabalho pesado. Divulgar, participar de eventos para ser visto, sacrificar coisinhas aqui e ali. Pelo menos no final fui recompensada com todo o carinho dos leitores e faria tudo de novo. kkkkk   -Deixe uma mensagem para os fãs, pessoas que seguem e acompanham suas obras!

Primeiro agradeço a todos que ate hoje se interessaram pelo meu livro e dizer que nós autores brasileiros precisamos da força de vocês. Temos que ter o costume de valorizar autores brasileiros. Assim ficamos mais próximos de nossa cultura, conhecemos nossas próprias diversidades e sem contar que podemos facilmente NOS comunicar com ele, na nossa língua.

Obrigado Naty pela maravilhosa entrevista!!! Sucesso!!
Para mais informações ou efetuar a compra dos livros da autora, acesse o site:
http://www.livrosdanatyrangel.com.br/

Leia também!

Tensão em Nova York – Corona Vírus e estoque de alimentos

Nesta sexta feira dia 13 de março entrevistamos um brasileiro morador de Nova York que preferiu não ser identificado.

Entrevista com a escritora A.C Nunes

Veja agora a entrevista com a escritora A.C Nunes, a nova parceria do Mistérios Literários!   Quando percebeu que gostaria de ser escritora? Sempre gostei muito da...

Entrevista com o escritor Kenny Teschiedel

Queridos leitores do Mistérios Literários, Aqui está uma breve entrevista com nosso escritor parceiro Kenny Teschiedel, autor do...

Entrevista a Marcelo Júnior feita por One Nolasco

Olá pessoas lindas, segue mais uma entrevista com nosso parceiro Marcelo Jr, uma pessoa incrível, super...