Crítica | Bates Motel

Bates Motel é uma série americana de 2013, exibida pelo canal A&E (no Brasil pela Universal Channel e, brevemente, pela Record) e que está atualmente em sua quinta temporada. Foi criada por Carlton Cuse (Lost, The Returned, The Strain), Anthony Cipriano e Kerry Ehrin (Friday Night Lights).

A série serve como uma espécie de prólogo para a história do filme Psicose, de 1960, dirigido por Alfred Hitchcock (Pássaros, Janela Indiscreta) e baseado no livro de Robert Bloch. Ela segue as vidas de Norman Bates (Freddie Highmore, de A Fantástica Fábrica de Chocolates) e sua mãe Norma (Vera Farmiga, de Invocação do Mal), que acabaram de se mudar para a cidade fictícia de White Pine Bay, no Oregon, para recomeçar suas vidas (Uma réplica do cenário original do Motel do filme original foi construída nas locações de filmagem da série). Cada temporada possui 10 episódios de aproximadamente 50 minutos cada.

A série começa com Norman e Norma chegando na cidade, após comprarem um motel á beira da estrada, depois da morte trágica do pai de Norman. O garoto começa a frequentar o colégio e faz amizade com Bradley Martin, saindo com ela para passear pela cidade, enquanto o antigo dono do motel resolve fazer uma visita para sua mãe Norma. As coisas saem do controle e mãe e filho acabam com um corpo para esconder (Não é spoiler, sério. Acontece tudo isso só no episódio piloto). Um pouco depois eles recebem a visita do Xerife Romero e do Investigador Shelby, que parecem estar suspeitando de alguma coisa.

Norma emprega Emma Decody no motel, colega de classe de Norman que possui Fibrose Cística (uma doença hereditária que não possui cura) e tem uma leve quedinha por ele. Conhecemos também Dylan Massett, meio-irmão de Norman, fruto de um complicadíssimo relacionamento anterior de Norma.

Enquanto tentam se livrar desse problema inicial, Norman encontra um caderno com ilustrações de mulheres asiáticas amarradas e em posições eróticas, e nós descobrimos que as fontes de renda da cidade envolvem tráfico de drogas e de escravas sexuais. Além disso, descobrimos que ele tem apagões momentâneos, situações onde ele faz ou fala coisas e logo depois não consegue se lembrar. Esse é um ponto muito importante na trama.

Bates Motel possui um enredo extremamente forte e bem escrito. A série conta com uma atuação absurdamente impecável de Norman Bates (Freddie Highmore) que consegue se entregar completamente em cada uma das cenas e das emoções do personagem. Realmente não poderíamos ter um ator mais apropriado para tal papel.

Não te deixando no tédio nem um único milésimo, com certeza esta série irá te fazer roer as unhas, se apaixonar pela evolução de cada um dos personagens e trazer bastante aflição em vários momentos. Realmente vale a pena parar para assistir.

Infelizmente esta série não tem sua licença renovada com a Netflix e é retirada do catálogo podendo ou não retornar.

Leia também!

Satsuma Gishiden é uma OBRA PRIMA

Satsuma Gishiden é o novíssimo mangá trazido pela editora Pipoca e Nanquim, do renomado autor Hiroshi Hirata, vem comigo conferir se vale a pena ou não a compra!

The Office: A beleza está em todos os lugares

The Office é a série mais assistida do momento, venha conosco descobrir o porquê dela ser tão especial mesmo após 7 anos de seu fim.

Crítica | Onde os Demônios Habitam

Aos 17 anos Eric está para se formar no Ensino Médio. Sua vida em família é um Inferno. O pai, um estivador...

As Relações Perigosas: um dos livros mais diabólicos da literatura francesa que você precisa conhecer

Choderlos de Laclos apresenta uma trama repleta de intrigas que rendeu diversas adaptações para o cinema e até uma minissérie da Rede...