A ascensão e queda da família Romanov: De rasputin a princesa perdida.

Conheça os Romanov: Os antigos senhores da Rússia

Existe um consenso mundial de que os russos são um pouco, digamos, diferentes e interessantes, com várias coisas diferentes que ocorreram na humanidade vindo da Rússia. De Ivan, o Terrível a Catarina II, a Grande nos tempos passados, assim como de Stalin a Putin na idade contemporâneas, as ações dos governantes russos surpreendem pelo jeito em que eles reagem as diferentes situações. Mas dentro dessa variedade de dinastias russas a que gera mais mistérios e situações estranhas, que governou por mais tempo essa terra louca foi a dos Romanov.

Os Romanov inicialmente foram uma casa originada na Rússia e que permaneceu de 1613 a 1762 no poder, eles foram os que produziram nomes russos lembrados amplamente como Ivan, o Terrível. Mas por diversas ligações sanguíneas e por casamento desde 1762 a 1917 foi um ramo da Casa nórdica de Oldenburgo, que para manter o domínio na Rússia e não gerar confusões, esta dinastia permaneceu com o sobrenome Romanov em terras russas e assim comandou o Império Russo desde então, até seu fim nas mãos dos sovietes. Esta dinastia ascendeu ao trono em 1762 e não o largou desde então, governando por oito gerações a Rússia, mas dentre todos estes governantes o que marcou com a crueldade, a falta de liderança, as maiores bizarrices e seu trágico fim em meio ao massacre de sua família foi Nicolau II.

Os Romanov e sua vida imperial

Para ascender ao governo os bolcheviques de Lenin massacraram e derramaram rios de sangue por toda a Rússia, e a dinastia imperial e o czar não poderiam deixar de estar na lista dos que os soviéticos mais desejavam trucidar, e em 1918 quando a revolução melchevique naufragou e os sovietes ascenderam, foi a vez da Rússia ver sua dinastia cair e os comunistas prosperarem. Mas você deve saber que o fim de uma dinastia, o porquê de sua queda, e o que ocorreu posteriormente e os boatos que surgiram são interessantíssimos, conheça agora, algumas das maiores curiosidades dos últimos Romanov senhores da Rússia.

As ações excêntricas da família Romanov

As visitas dos mágicos a dinastia imperial

Os Romanov tinham apreço a magia, ou truques mágicos no caso, qualquer um dos dois para eles eram de grande serventia de entretenimento. Com grandes fortunas para serem gastas para o padrão de uma família em detrimento de uma população, a dinastia ocasionalmente convidava diversos artistas desse ramo para apresentações particulares em seus palácios, onde diversos truques eram expostos para êxtase do clã que adorava esse tipo de show, que era é claro realizado pelos melhores do ramo como o grande Houdini. 

Imagine então você como um plebeu russo que deve penar por alimentos, sabendo que sua dinastia imperial importa-se mais com truques mágica do que com você, o sentimento gerado é péssimo, e reflete muito do porquê que essa família teve esse final trágico por não ligar para o seu povo.

Rasputin, a lenda russa

O monge que acreditava-se ter poderes sobrenaturais foi uma figura controversa no meio da corte imperial russa. Muitos diziam que eram um mago, outros que exercia a função de curandeiro real, este era o único que conseguia estancar os sangramentos do príncipe herdeiro que tinha hemofilia, muitas teorias cientificas surgem sobre isto e do método que ele conseguia realizar esse feito, como a hipnose; mas outros a referendavam como magia negra. O monge ainda era um devasso e dormia com as mulheres com o pretexto de as estar livrando-os dos pecados. Este passou então pelos boatos a se relacionar com esposas de aristocratas e a exercer grande influência sobre a czariana (sendo até mesmo seu amante), e consequentemente no império. O que causou que este fosse o responsabilidade pelo distanciamento da dinastia de seu povo.

Por conta da devassidão e aproximação da dinastia imperial, rasputin causa inveja e nojo por partes dos aristocratas que temiam a sua influência. Em resumo, o monge sofreu várias tentativas de assassinato, vamos lá para a listagem. Em primazia o mago foi esfaqueado por uma prostituta, mas sobreviveu. Posteriormente foi-se colocado uma quantidade de veneno em seu alimento capaz de matar vários homens, e o mago sobreviveu. Com medo deste sair vivo novamente, seus algozes atiraram nele, que ainda assim, sobreviveu. Então seus carrascos desparraram uma saraivada de tiros e espancaram seu corpo, enrolaram seu corpo em um tapete e o jogaram em um rio russo super frio. Na hora da necropsia advinha qual foi a causa da morte, acho que você já entendeu, o monge apenas acabou morto de hipotermia ou de afogamento, esse sim é o duro de matar da vida de real.  

O Domingo sangrento russo

Quando estudamos a revolução russa no colégio aprendemos que um dos motores, se não o principal do que culminou na URSS foi o domingo sangrento. Aonde a guarda imperial dos Romanov fuzilou na frente do palácio de inverno do czar, um grande número de russos que realizavam protestos pacíficos que exigiam diversas melhoras na condição de trabalho e de vida na Rússia. O massacre não foi ordenado pelo czar que que estava distante do local do ocorrido, mas em quem recaiu toda a responsabilidade. Inflamando o ódio do povo e dando combustível a ascensão dos movimentos revolucionários.

Nicolau II não era amado pela Rússia

Sem lágrimas nos olhos russos

No momento de sua morte por tropas soviéticas mais radicais provindas dos urais russos que capturaram a família em fuga, fugindo dos bolcheviques como o diabo corre da cruz, com medo de serem mortos. Não pode-se culpar Lenin pelo massacres iniciado por estes soviéticos regionais, já que não há documentos em que se comprove que os soviéticos do Kremlin tenham ordenado o assassinato de toda a dinastia Romanov ali presente em fuga para salvar as suas vidas, apenas a do czar. Após suas mortes não houve muita reação por parte da população russa, já que estes não eram amados pela população russa. Mas porquê de uma dinastia que passou anos no poder e conseguiu manter o seu domínio em terras de tamanha vastidão e por tanto tempo, foi massacrada de forma em que não houve um choro popular? Vamos realizar então um raio-X e descobrir o porquê da falta de amor russo pelos Romanov.

 O subdesenvolvimento da Rússia 

Em uma época de plena industrialização e crescimento do mercado financeiro, a Rússia ainda era agrária e aristocrática em sua amplitude geral, algo que incomodava aos russos mais humildes mas agradava as elites que detinham o controle em um sistema quase feudal de dominação, com algumas atualizações propostas pela dinastia imperial. Em síntese aquela velha dicotomia de elite super rica e confortável e povo sofredor era a regra na maioria da Rússia e desagradava o povo russo, com luxo para poucos e sofrimentos para muitos, e isto pensado na Rússia onde o frio é de matar e o plantio penoso, é um dos motivos pelo qual os Romanov que viviam em um tremendo luxo, não eram amados pela população.

A questão de se temer a dinastia imperial

A dinastia imperial russa firmava-se na questão maquiavélica do não ser muito amado, mas também temido, e dentro da Rússia por suas ações cruéis eles eram temidos. Mas com o passar do anos e o início da modernização agrária e militar, a Rússia passou a se tornar ultrapassada e a ver seus cofres se esvaziarem em direção a centros econômicos mais desenvolvidos graças aos produtos industrializados de outros países.

E a não percepção deste fato pesou para os Romanov, com um povo pobre e não provido de suas necessidades, a dinastia para proteger seus interesses na guerra russa-japonesa em que acabou derrotada; e os sérvios resolveu entrar com seus exércitos nada modernos na primeira guerra mundial, e o resultado já poderia ser presumido. Milhões de russos apoiadores do regime e que lutavam nos frontes mortos, a dinastia sem dinheiro, o povo passando fome, e o amor que já não existia há muito tempo se tornar ódio, e as repercussões do domingo sangrento e o que foi criado a partir dele, retornarem para assombrar a família Romanov.

O temor se perdeu e o desespero chegou a dinastia imperial

Com todos estes fatos ocorrendo, a organização de centros de poderes distante e não alinhados a dinastia começaram a ascender, as ideias liberais e as socialistas corriam o mundo, e não poderia ser diferente na Rússia, em que se levantaram grupos de diferentes concepções ideológicas durante a reta final da primeira guerra mundial, e o objetivo de todos era claro, derrubar os Romanov e conseguir desenvolver o ódio do povo russo contra as ações da guarda imperial czariana contra o povo no domingo sangrento. E foram os bolcheviques que realizaram essa façanha. 

O cruel final dos Romanov e a teorias da conspiração

O fim das ações da dinastia imperial russa caro leitor foi um completo massacre de toda a família, mas uma teoria da conspiração ainda se manter de pé que é a sobrevivência da princesa imperial Anastásia ao massacre soviético, existem investigações que afirmam que ela foi deixada viva ou fugiu dos soviéticos, e outras que afirmam que ela foi morta por eles juntamente com seu clã. Mas a história permanece e a torna a princesa russa desaparecida e misteriosa para todo o mundo.

O que se sabe é que Nicolau II e parte de sua família foram enterrados com honras militares russas e o czar foi santificado pela Igreja Ortodoxa, e seu local de morte é visitado por peregrinos de diversas seitas, um final bem peculiar não é mesmo.

Leia também!